11 June 2007

Poesia Adolescente

No Japão, suicídio
Aqui uma risada sarcástica,
um copo de uísque na mão,
deboches,
sem a mínima pretensão suicida.

Na Alemanha, manifestações nada pacíficas
Aqui uma passividade que pasma, nada muda.
Uma sensação de aconchego...
Até que um menino é arrastado.
Lágrimas, subseqüente esquecimento, aconchego.

Na Argentina adoram livros
Aqui, mal se consegue ler o próprio nome
Não há mal que a Tv não cure! Lêem-se legendas
Enquanto os homens de farras, com suas prostitutas, negociam elevado capital.
Nasce a massa.

Tres vivas a este chiqueiro Orwelliano
Viva, viva e viva!

3 comments:

Madu said...

Se não fazemos revolução, há uma guerra civil cruel tomando conta de certos espaços no Brasil.

Confligerante said...

Meu caro,
cuide mais da poesia do que de outras coisas, tens aí uma veia, que talvez, repito, talvez, esteja se entupindo e anda meio preguiçosa. Mas, que tem sangue e do bom. Disso eu não sabia. Quem sabes tens o dom. está bom, está bom.
Um abraço em você

Vai aí um escritozinho de tempos meio teiadearanhosos
http://confligerante.blogspot.com/2005/09/escrito-de-tempos-rancorosos-1990-o.html

Latrinogênico said...

São as defecações cerebrais meu caro Jon (assim mesmo: Jon que se lê djon mas é Jão de João). Não sei se é um processo circulatório em vêia ou entérico... Contudo, sempre acaba no vaso sanitário que é este espaço!

Das serras de Minas, um abraço!